OUTRAS NOTICIAS

ACTUALIZADO EM: 18-06-2012

 

Exposição SOS Igreja montada com caráter permanente na Capela da Escola de Polícia Judiciária

O Museu de Polícia Judiciária informa que a Exposição multimédia ‘SOS Igreja’ (até agora itinerante e inserida no ‘Projeto Igreja Segura-Igreja Aberta) foi montada com caráter permanente na Capela da Escola de Polícia Judiciária, Quinta do Bom Sucesso, Loures, onde poderá ser visitada (em horário de expediente) mediante marcação.

Recordamos que a exposição mostra peças de arte sacra, de origem desconhecida - furtadas e recuperadas pela polícia - recorrendo  a luz, som e efeitos especiais, focando num 1º momento os problemas de segurança existentes nas igrejas e apontando por último as soluções preconizadas pelo Projeto.

Contacto: museu.pj@pj.pt    telef:  219844200

 

ÚLTIMA ACÇÃO de FORMAÇÃO sobre PREVENÇÃO CRIMINAL e VIGILÂNCIA em IGREJAS: PAMPILHOSA da SERRA, 26 de MARÇO 2011

Por iniciativa da ‘Associação de Juristas de Pampilhosa da Serra’ (AJPS), realizou-se a 26 de Março 2011, no Auditório Municipal “Monsenhor Nunes Pereira” de Pampilhosa da Serra, a acção de formação “Prevenção Criminal e Vigilância de Igrejas”, ministrada pela Coordenadora do Projecto Igreja Segura – Igreja Aberta. A acção decorreu entre as 9h30-12h30m e as 14h30m-17h00m e contou com o apoio da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, no âmbito do Protocolo assinado entre esta, a AJPS, o Arciprestado de Pampilhosa da Serra e a Escola de Polícia Judiciária (através do seu Museu de Polícia Judiciária / Projecto “Igreja Segura-Igreja Aberta).

+ info. Clique aqui

 

FURTOS DE ARTE SACRA NO NORTE DO PAÍS

No período compreendido entre 23/03/10 e 27/03/10, desconhecidos, depois de arrombarrem a porta, entraram na Capela de N. Srª. da Conceição, situada na Quinta do Torrão - Valdigem - Lamego e furtaram:

- uma imagem de N. Srª. da Conceição com cerca de 1,20 m;

- uma imagem de S. José - 0,90 m;

- uma imagem de S. João Evangelista - 0,90 m;

- uma imagem de Stª. Quitéria - 0,90 m;

- um Menino Jesus

- o Cristo de um crucifixo;

- seis castiçais em prata, com a gravação A.A;

- duas colunas em madeira torneada, com 1,20 m de altura;

- uma galheta.

Consulte aqui as imagens das peças procuradas

 

No período compreendido entre Maio de 2007 e 25/10/09, desapareceram de uma capela, anexa a uma residência no Norte do País, duas imagens de arte sacra e um crucifixo. As imagens destas peças facultadas para divulgação não têm muito boa qualidade.

Consulte aqui as imagens das peças procuradas

 

 

‘Implantação’ oficial do Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta' em minas gerais, Estado brasileiro detentor do património cultural mais importante daquele país

Na sede do Ministério Público de Minas Gerais, em Belo Horizonte, o Coordenador da ‘Promotoria Estadual de Defesa do Património Cultural e Turístico de Minas Gerais’, Dr. Marcos Paulo de Souza Miranda, entrega, em seu nome e em nome do Procurador Geral de Justiça de Minas Gerais, uma placa de agradecimento e reconhecimento à Coordenadora do Projecto ‘Igreja Segura-Igreja Aberta’, Dra Leonor Sá, pelo trabalho por esta desenvolvido em Portugal, que levou à adopção e implantação oficial deste Projecto no Estado de Minas Gerais.

 

A convite da 'Promotoria Estadual de Defesa do Património Cultural e Turístico de Minas Gerais', Brasil, a coordenadora do Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta', Dra Leonor Sá, deslocou-se e apresentou em 18 de Maio passado, em Belo Horizonte, a conferência de encerramento do Seminário 'SALVAGUARDA DO PATRIMÓNIO CULTURAL SACRO: RESPONSABILIDADE E AÇÕES' promovida por aquele organismo do Ministério Público brasileiro. O tema proposto por aquela entidade foi: "Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta - O exemplo DE portugal'".

No dia anterior a coordenadora do Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta', tinha sido levada pelo Coordenador da 'Promotoria Estadual de Defesa do Património Cultural e Turístico de Minas Gerais', Dr Marcos Paulo de Souza Miranda, a participar numa reunião com o Secretário de Estado da Cultura de Minas Gerais, para apresentação do mesmo Projecto.

No Seminário supra referido, que teve lugar no auditório do edifício do Ministério Público de Minas Gerais, e perante o problema conjunto do combate e defesa do património cultural brasileiro, foram apresentadas mais de uma dezena de comunicações por diversos representantes institucionais que espelharam as diversas experiências, perspectivas, sensibilidades e abordagens das diferentes entidades brasileiras de diferenciadas tutelas: Polícias, Ministério Público, organismos do Ministério da Cultura, Igreja Católica brasileira, universidades, etc.  Ver Programa aqui.

No final da conferência de encerramento a aceitação da ideia do Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta' foi acolhida com entusiasmo, pelo que foi considerado o seu carácter inovador de transversalidade, interdisciplinaridade, espírito de colaboração e abordagem global e pró-activa aos problemas da protecção do património cultural sacro português e brasileiro.

Nesta sequência, o Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta' teve a honra de se ver formalmente instituído e implantado no Estado de Minas Gerais, conforme 'Carta conclusiva do 1º Seminário Preservação do Patrimônio Cultural Sacro', lida e discutida no final do encontro, que pode consultar aqui.

No final do Seminário a Coordenadora do Projecto foi ainda agraciada com uma bonita placa em aço com os dizeres "O Ministério Público de Estado de Minas Gerais agradece à Senhora Leonor Sá pela valiosa contribuição e pelo apoio à implantação do Projecto “Igreja Segura, Igreja Aberta” nos templos de Minas Gerais e ainda pelo grande exemplo de dedicação e luta pela preservação do património cultural de Portugal. Belo Horizonte, 18 de Maio de 2010. Abreu José Torres Marques, Procurador Geral da Justiça de Minas Gerais; Marcos Paulo de Souza Miranda, Coordenador da Promotoria Estadual de Defesa do Património Cultural e Turístico de Minas Gerais".

Tal gesto inesperado muito sensibilizou a referida Coordenadora, por ver assim carinhosamente reconhecido a nível internacional o que tem sido o seu grande esforço na iniciativa e coordenação do Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta' em Portugal.

Por fim, a mesma Coordenadora foi ainda convidada a assessorar uma exposição no Museu Mineiro de Belo Horizonte, seguindo o modelo da exposição homóloga portuguesa itinerante ‘SOS Igreja’, no âmbito do Projecto 'Igreja Segura-Igreja Aberta' (exposição que já conheceu 9 montagens em Portugal, de norte a sul do país, sendo a próxima montagem em Viseu, em Setembro de 2010), a partir de objectos brasileiros de arte sacra furtados e posteriormente recuperados pelo Ministério Público e pela Polícia Mineiros.

15.06.10

 

 

FURTO NA CAPELA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, EM VALDIGEM, LAMEGO

 

Na noite de 25 para 26 de Março de 2010, desconhecidos arrombaram a porta e entraram na Capela de Nossa Senhora da Conceição, na Quinta do Torreão – Valdigem - Lamego, tendo furtado uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, em madeira policromada, uma imagem de São José, uma imagem de São João Evangelista, uma imagem de Santa Quitéria, um Menino Jesus e um Cristo (todas as imagens têm cerca de 1 metro de altura e presume-se que só a primeira fosse em madeira). Furtaram ainda seis castiçais em prata, com a gravação “AA” (António Arão), uma galheta e as duas colunas centrais do altar, em madeira trabalhada e dourada, com cerca de 1,20 m de altura.

(para ver as fotos clique aqui)

Como infelizmente na maioria dos casos - e apesar de todas as insistências do Projecto Igreja Segura-Igreja Aberta -  as fotos que existem e que aqui divulgamos são de má qualidade e evidenciam a ausência de inventário da capela em questão. Em todo o caso, pede-se a quem julgar ter localizado qualquer uma das peças que contacte imediatamente a Directoria do Norte da PJ através dos telefones:

 

22 558 23 79 ou 96 673 24 73.

 

Montagem da Exposição multimédia itinerante 'SOS Igreja' em Santarém, de 30 de Janeiro a 14 de Março de 2010

(...)continuação

 

FURTO EM CABECEIRAS DE BASTO

No período de tempo compreendido entre 19/09/2009 e 11/10/2009,  desconhecidos introduziram-se na Capela de S. Brás, sita em Lugar de Baloutas, Painzela, Cabeceiras de Basto, donde vieram a furtar uma Imagem de S. Brás, do séc.XVIII, em madeira policromada, (talvez de sobreiro), com cerca de 80 cm de altura e uma segunda Imagem de Nª.Srª. da Apresentação, séc.XVIII, em madeira maciça policromada, (talvez de sobreiro), com cerca de 60 cm de altura.

Consulte as fotos das imagens e, se souber do paradeiro das mesmas, contacte p.f. de imediato a PJ de Braga, telef.: 253255000. (...) ver fotos

 

FURTADAS 3 IMAGENS COM MAIS DE 1 METRO DE ALTURA NA COMARCA DE CHAVES, DISTRITO DE VILA REAL

No Período compreendido entre as 11H00 do dia 1 e as 10H00 do dia 3/10/09, desconhecidos assaltaram uma capela e uma igreja, distantes uma da outra 100 metros, situadas no Lugar de Paimogo, freguesia de Calvão – Chaves, por arrombamento, tendo furtado da primeira uma imagem de Senhor do Bom Caminho, em madeira policromada, com túnica em tecido, roxa e cabelo natural, com cerca de 1, 30 de altura, na posição genuflectida, Sec. XIX, avaliada em €10000 e da Igreja uma imagem do Senhor do Bom Caminho, idêntica à anterior, com 1,50m de altura e outra de Stª Bárbara, em madeira policromada, da mesma época, com 80 a 90cm de altura, no valor de €5000.

As fotos que existem e que aqui divulgamos são de má qualidade mas, mesmo assim, se localizar qualquer uma das imagens, contacte imediatamente a Directoria do Norte da PJ, através dos telefones:

225582379  ou  966732473.

 

Próxima montagem da Exposição multimédia itinerante 'SOS Igreja': Santarém, Outubro 2009.

 

Projecto Igreja Segura-Igreja Aberta deixa marcas no Brasil

As notícias vindas do Brasil, que aqui inserimos de seguida, demonstram que a apresentação do Projecto Igreja Segura-Igreja Aberta em Março de 2009, em Ouro Preto, por ocasião e a convite do ‘IV Encontro do Ministério Público na Defesa do Património Cultural’, causou impacto benéfico e catalizador de procedimentos reais de protecção do património de arte sacra brasileiro.

Estamos todos de parabéns!

 

PATRIMÔNIO SACRO

Mutirão para salvar igrejas e bens

Ministério Público, Iepha, Iphan, arquidioceses e bombeiros encabeçam força-tarefa que vai atuar em Minas na conservação e proteção de templos religiosos e imagens

Junia Oliveira

javascript:increase_font() javascript:decrease_font() javascript:getFriend() javascript:printThis()

Emmanuel Pinheiro/EM/D.A Press

Capela de Nossa Senhora da Lapa, em Ravena, distrito de Sabará, que precisa de cuidados, é uma das quatro escolhidas para o início do trabalho


Minas Gerais faz um pacto inédito pela conservação e proteção do seu patrimônio religioso. Uma força-tarefa, formada por vários órgãos responsáveis pela preservação da cultura mineira, vai coordenar a implantação de um projeto de segurança nas igrejas, com o objetivo de evitar a degradação das construções e os furtos e roubos de imagens e objetos sacros. A iniciativa será testada em quatro igrejas, todas incluídas no livro do tombo: Capela Nossa Senhora do Rosário, em Santa Rita Durão, distrito de Mariana, na Região Central; Capela Nossa Senhora do Rosário de Quinta do Sumidouro, em Fidalgo, vilarejo de Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte; Santuário Bom Jesus do Matozinhos, em Piranga, na Zona da Mata; e Capela de Nossa Senhora da Lapa, em Ravena, distrito de Sabará, também na Grande BH. Entre os critérios adotados na seleção estão as condições das construções, como a de Ravena, em processo de ruína, e o histórico de desaparecimento de peças.

O modelo foi inspirado no projeto Igreja segura, igreja aberta, criado pelo Instituto de Polícia Judiciária e Ciências Criminais de Portugal. No país europeu, a situação é parecida com a de Minas: um grande acervo de imagens e objetos sacros e muitos casos de furtos, o que levou ao fechamento de templos. A proposta está sendo debatida pela Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais e representantes das arquidioceses de Mariana e de Belo Horizonte, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), das secretarias estaduais de Cultura e de Defesa Social e do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o coordenador da Promotoria de Defesa do Patrimônio, Marcos Paulo de Souza Miranda, a interação entre os grupos é fundamental: “É uma engrenagem cuja participação de todos é decisiva para o funcionamento do sistema. E o estado não pode assumir sozinho. É preciso a integração entre poder público, igrejas e sociedade”, diz. Ele destacou a necessidade de a Igreja assumir seu papel de corresponsável pela proteção do patrimônio cultural sob sua guarda, adotando uma posição mais ativa.

O próximo passo do trabalho é o diagnóstico detalhado da situação das igrejas escolhidas. Nele, constará informações sobre a estrutura das construções e equipamentos. A partir desse estudo, será traçado um cronograma de ações. O promotor pedirá, ainda nesta semana, o diagnóstico aos técnicos do Ministério Público e aos bombeiros. O documento deve ser concluído em 30 dias. Além do sistema de segurança (câmeras e alarmes), serão instalados nas igrejas aparelhos de combate e prevenção a incêndio (os bombeiros ensinarão a comunidade a usá-los) e feito o inventário com fotos e informações das dimensões de todas as peças para facilitar a recuperação e a identificação da origem em caso de furto.

Marcos Paulo de Souza acredita nos primeiros resultados – instalação de equipamentos e sensibilização e mobilização dos moradores – em até um ano e meio. “O programa não resolve o problema dos bens. Pretendemos mostrar o caminho e ressaltar que, quando os atores estão comprometidos, há solução. Queremos ainda criar rotinas de trabalho que sirvam de exemplo a outras comunidades que passam por situação semelhante”, afirma. Os dados do MP mostram um número preocupante: Minas já perdeu 60% de seu patrimônio sacro. Atualmente, 666 peças estão desaparecidas e, dessas, há fotos de aproximadamente 300, o que diminui as chances de recuperação.

A gerente de Ação Preventiva do Iepha, Alessandra Deotti, está otimista com a parceria. “Um órgão sozinho não resolve tudo. É preciso uma soma de esforços para melhorar o quadro. Historicamente, o Iepha e o Iphan sempre investiram na preservação, enquanto as igrejas e as comunidades ficavam à margem dos trabalhos”, relata. O arquiteto Rafael Arrelaro, do Iphan, acredita que, a médio prazo, a medida poderá ser estendida a outros estados: “A partir dos resultados obtidos será possível observar o que deve ser revisto e aprimorado e, provavelmente, eles serão foco de uma discussão nacional. Novas ações e um trabalho preventivo são muito importantes. Qualquer intervenção no bem se reflete na integridade dele. Por outro lado, é preciso cuidar do patrimônio das igrejas e correr atrás do que foi desviado”, afirma.

O assessor jurídico da Arquidiocese de Mariana, Geraldo Alex Miranda Bailão, diz que a Cúria tem se empenhado na preservação dos bens, com restaurações, reformas e instalação de aparelhos de combate a incêndio. “Praticamente, todas as nossas igrejas têm proteção e sistema de alarme, dentro das possibilidade financeiras da comunidade. É preciso criar um diálogo com a participação de todas as entidades, porque patrimônio é de todo mundo quando está bem e é bastante visitado, mas do contrário, apenas a Arquidiocese é dona”, diz. Ele ressalta que a Cúria da cidade histórica tem 70% dos bens tombados em Minas e cobra parcerias e recursos, inclusive do poder público municipal. O advogado aposta nos resultados positivos do programa: “Dará bons frutos porque não depende de grandes aportes financeiros, mas da sensibilização de quem vive no entorno e de quem cuida das igrejas. O envolvimento da comunidade é o centro do projeto, que deve reconhecer o bem como dela.”

 

PATRIMÔNIO SACRO

Projeto português inspira ação em MG

Junia Oliveira

javascript:increase_font() javascript:decrease_font() javascript:getFriend() javascript:printThis()

Beto Novaes/EM/D.A Press %u2013 13/3/09

Museóloga Leonor Sá diz que furto fere identidade da comunidade


Seis anos de trabalho e 20% na redução dos casos de furtos de peças sacras. Esse é o resultado do projeto Igreja segura, igreja aberta, em Portugal, inspirador do programa de segurança que será implantado nos templos de Minas Gerais. No país europeu, a ação foi criada em 2003, pelo Instituto Superior de Polícia Judiciária e Ciências Criminais, por meio do Museu e Arquivos Históricos de Polícia Judiciária, em parceria com várias entidades públicas e privadas. O objetivo é reverter um triste quadro: a falta de segurança levou muitas edificações religiosas a fechar as portas por causa dos roubos, privando moradores e visitantes de admirar a arte produzida em anos de história. O instituto estima que 75% de todo o patrimônio cultural português esteja sob a guarda da Igreja.

A mobilização da comunidade começou com a montagem, ainda em 2003, de uma exposição itinerante e multimídia de uma coleção de arte sacra recuperada e em poder da Polícia Judiciária, sem origem e identificação. A iniciativa foi um dos eixos adotados para sensibilizar as comunidades a identificar seus bens. O segundo ponto foi a apresentação de boas práticas de conservação e segurança, a partir das igrejas-piloto presentes em 14 das 20 dioceses portuguesas. O último eixo foi a formação e treinamento de quem trabalha nos templos católicos, como vigilantes e zeladores.

Medidas simples, como a proibição de fotografar as peças, implantar sistemas de segurança e melhorar o controle sobre as chaves foram fundamentais para o andamento dos trabalhos. As chaves da igreja devem estar nas mãos de um único responsável (o pároco ou paroquiano por ele nomeado) e o encarregado da missão deve elaborar um registro de todos os exemplares existentes e a quem estão entregues. Inventariar bens culturais, como vem sendo feito em Minas, é outros aspecto essencial para se avaliar a dimensão e localização dos objetos, assim como cuidar dos acessos (portas e janelas) e dotá-los de trancas, fechaduras resistentes e de qualidade.

Em Portugal, para participar do projeto, as igrejas devem se comprometer a seguir os procedimentos e instruções dos manuais do programa, tanto na questão da segurança como da conservação. Em entrevista ao Estado de Minas, durante o Encontro Nacional do Ministério Público em Defesa do Patrimônio Cultural, ocorrido em março, em Ouro Preto, na Região Central do estado, a museóloga Leonor Sá falou da contribuição que seu país pode dar ao Brasil e destacou que, ao furtar imagens, “o ladrão leva algo mais vasto e abrangente do que peças com valor comercial. Na verdade, ele está carregando os valores espirituais e afetivos da comunidade”.

 

 

 

 

Acção de Formação: ‘Prevenção Criminal e Vigilância em Igrejas’ em Santarém

No dia 25 de Abril de 2009, na Igreja de Nossa Senhora da Piedade, em Santarém, realiza-se, a convite do Senhor Padre Joaquim Ganhão, responsável pela Comissão dos Bens Culturais daquela Diocese, a Acção de Formação ‘Prevenção Criminal e Vigilância em Igrejas’.

O grupo alvo é constituído, como habitualmente nesta Acção de Formação do Projecto Igreja Segura – Igreja Aberta, por párocos, provedores, membros das comissões fabriqueiras, zeladores, funcionários camarários, membros das autoridades policiais locais, etc.

Também como habitualmente, será distribuído graciosamente o ‘Projecto Igreja Segura - Manual Básico de Segurança’.

 

Realizou-se mais uma Acção de Formação "Prevenção Criminal e Vigilância em Igrejas", desta feita em Foz Côa, no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Vila Nova de Foz Côa e na Igreja da Misericórdia de Foz Côa, a 23 de Janeiro de 2009.

Esta Acção de formação realizou-se por solicitação da Câmara Municipal de Foz Côa e contou com mais de 80 participantes.

 

Lamentamos noticiar que no passado dia 15 de Janeiro 2009 faleceu o nosso muito querido Engenheiro José Cartaxo Vicente.

 Enquanto representante da Entidade Parceira ‘Ordem dos Engenheiros’ teve um extraordinário desempenho e deu um contributo fundamental ao Projecto Igreja Segura / Igreja Aberta, que muito lhe fica a dever.

 Com a sua proverbial afabilidade e vontade de ajudar, deixa muitos amigos - e muita saudade.

 

Prémios APOM 2007 (Associação Portuguesa de Museologia) - Categoria de melhor site - atribuído ao Museu de Polícia Judiciária pelo site www.igrejasegura.com (...) ler mais

Última Acção de Formação " Prevenção Criminal e Vigilância em Igrejas ": Viseu, Seminário Maior, 27 de Setembro de 2008. Solicitação da Comissão de Bens Culturais da Diocese de Viseu.

Na Igreja de Santa Maria do Castelo, em PINHEL, esteve patente, de 1 de Agosto a 30 de Setembro de 2008, a Exposição multimédia itinerante “SOS IGREJA”, com o apoio da Câmara Municipal de Pinhel.

Contactos: museu.pj@pj.pt

                      museu@cm-pinhel.pt

 

Nova Igreja Piloto (a partir de 23 de Julho de 2008): Igreja de Santo António dos Capuchos da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães

 

Igrejas Piloto (Início 2008) (...) ler mais

 

Novos Parâmetros de Adesão ao Projecto Igreja Segura - Igreja Aberta (...) ler mais

 

Projecto Igreja Segura - Igreja Aberta na Diocese de Santarém (...) ler mais

 

ACÇÕES DE FORMAÇÃO 2007 (...) ler mais

 

PROTOCOLO CENTRO NACIONAL DE CULTURA (...) ler mais

 

ACÇÕES DE FORMAÇÃO 2006 (...) ler mais

 

MODELO TIPO de PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO para IGREJAS (...) ler mais

 

 

Adesão da Diocese do Algarve ao Projecto Igreja Segura (...) ler mais

 

VENCEDORA do Prémio Igreja Segura - Igreja Aberta 2005   (...) ler mais

 

Mais um Igreja Piloto (Outubro 2005): Igreja da Santa Casa da Misericórdia da Ericeira  (...) ler mais

 

Reuniões Gerais de Parceiros 2005: 30 de Junho; 27 de Julho. Próxima reunião: 16 de Novembro de 2005

 

1ª Reunião Geral das IGREJAS PILOTO

Realizou-se no passado dia 5 de Maio de 2005, no ISPJCC,  a 1ª Reunião Geral  de Igrejas Piloto do Projecto Igreja Segura. (...) ler mais

 

Entrega de prémios a alunos

No passado dia 12 de Novembro de 2004 decorreu a cerimónia de entrega de prémios aos alunos Emanuel Grilo, Joana Matos e Maria Inês Nuno, da ESTG do Instituto Politécnico de Portalegre, pela concepção gráfica de suportes de divulgação do Projecto Igreja Segura (...) ler mais

 

Publicação de Manual de Segurança

Foi publicado pelo Instituto Superior de Polícia Judiciária e Ciências Criminais / Museu e Arquivos Históricos de Polícia Judiciária, com o apoio da Comissão Episcopal dos Bens Culturais da Igreja, o volume Projecto Igreja Segura - Manual de Segurança. (...) ler mais

 

Seminário Internacional: “SEGURANÇA, PROTECÇÃO e VALORIZAÇÃO do PATRIMÓNIO CULTURAL”

Nos dias 24, 25 e 26 de Março de 2004, realizou-se no Instituto Franco-Português, em Lisboa, um seminário internacional sobre: Segurança, Protecção e Valorização do Património Cultural.

A organização esteve a cargo do Instituto Superior de Polícia Judiciária e Ciências Criminais (através do Museu e Arquivos Históricos de Polícia Judiciária), e da Embaixada de França em Portugal. (...) ler mais

 

Assinatura do Protocolo do Projecto  “IGREJA SEGURA"

No passado dia 18 de Junho de 2003, nas instalações do Instituto Superior de Polícia Judiciária e Ciências Criminais, teve lugar a cerimónia oficial de assinatura do protocolo entre os nove parceiros do Projecto “Igreja Segura” que seguidamente se enumeram. (...) ler mais